Programa de Rádio
  Histórias
  que me contaram
 

 

 
Progra
  Ouvir programa | Especial
   
 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Deixemos o tempo nos levar ao passado e
recordar os fatos, acontecimentos que fizeram e
escreveram nossa história. Assim, nem que seja
no lembrar, seremos por instantes felizes e
estaremos provocando tantos outros a refletirem."
 
Um programa que sensebiliza, emociona e
faz com que as pessoas voltem no tempo
e abram o baú das recoradações...
 

Ao longo do tempo ouvimos contos, fatos, acontecimentos, mitos e ditos em entrevistas e conversas com ouvintes,amigos e lideranças.Com o intuito de preservar, rememorar e promover a memória de nossa gente surgiu a idéia deste programa:Histórias que me contaram.Programa com pesquisa , produção e apresentação independente que obedece critérios severos de  veracidade dos fatos. Todo programa tem depoimento que comprovam o que é dito, narrado e comentado. Nada no Programa é fruto do acaso ou da mera sorte, tudo é estudado, analisado e produzido em estúdio próprio não sofrendo com isso, interferências ou,influências de qualquer gênero. Tudo é  alicerçado na ética, responsabilidade e veracidade.

 

 

Ficha Técnica

O Programa é dividido em 3 partes e as  mensagens dos patrocinadores são testemunhais na abertura  citação de 7" (sete segundos) e no final comercial de 35"( trinta e cinco segundos).O Programa tem uma duração máxima de 10 minutos e, cada dia da semana é um fato, um acontecimento, uma história.São quatro parceiros, com cotas iguais  valor de tabela

 

Informações tel   54 30520674 e| ou jnolasco@terra.com.br

 

O tempo

 
     

 

Escolhemos minutos, horas e até dias para voltar pela longa estrada que já percorremos na vida. Nesta caminhada o fazemos de cabeça baixa, como se procurássemos os rastros que levasse aos grandes momentos, às grandes alegrias e às inesquecíveis emoções vividas. Logo uma tristeza invade todo o nosso ser e um desespero nos leva às lágrimas, porque procuramos em vão, reviver aquilo de bom que o tempo estraçalhou na sua implacável passagem. Inútil perseguir nossas próprias pegadas, porque o vento trouxe a poeira de bem longe para sepultar tudo o que deixamos, naqueles caminhos. Depois de tantos anos, de fato não adianta voltar pela mesma estrada, pois tudo se transformou. As árvores que poderiam nos guiar na caminhada do reencontro, envelheceram, perderam suas folhas, como nós, são galhos que secaram e entristeceram sob a erosão do tempo. Enquanto tentamos o reencontro com o que passou, o tempo ri de nossa ingenuidade, assiste risonho ao nosso pesar, e leva para bem longe o que procuramos, deixando somente saudade, única coisa que encontramos, porque está presente nas várias esquinas que dobramos. Exaustos, com as perna tremulas no transcurso do longo caminho com o corpo alquebrado pelas noites longas de insônia, choramos a nossa solidão reconhecendo a nossa derrota, falando ao a vento que sopra: Por que, tempo, você passou e nos deixou assim perdidos, sozinhos no vazio de nossas ilusões? Para onde levou a alegria da vida, e onde encontrou tanta tristeza para substituir todos os nossos momentos de felicidade? Tempo não corra, tenha piedade de nós. Não se apresse tanto. As minhas pernas já não conseguem caminhar com aquela rapidez de outrora e desejamos acompanha-lo. Queremos encontra-lo para que você nos mostre, nem que por segundos, nossa imagem do passado, pois já começamos a ter saudades do jovem que fomos. Não zombe da fraqueza física. Espere nossa chegada e nos mostre tudo aquilo em que pomos amor, mas que fugiu de nosso lado, sem que saibamos porquê. Deixamos espalhados no palco da vida e, novamente desejamos encontrar a felicidade na inocência, na simplicidade e na pureza da alma de uma criança despreocupada, cândida e feliz que ficou para traz. Deixemos o tempo nos levar ao passado e recordar os fatos, acontecimentos que fizeram e escreveram nossa história. Assim, nem que seja no lembrar, seremos por instantes felizes e provocando tantos outros a refletirem.

 

 

Voltar menu Principal